sexta-feira, 30 de junho de 2017

Caixa Geral de Depósitos? Não obrigado!



O Professor
Sou cliente da CGD desde os 18 anos de idade, ou seja há 52 anos. Em 1972 ingressei como professor na Escola Secundária de Estremoz, passando o meu vencimento a ser pago pelo Ministério da Educação, através da Agência de Estremoz da Caixa Geral de Depósitos, o que aconteceu até me aposentar em 2008. Durante esse período, sempre fui tratado na Agência como Professor e nalguns casos como Senhor Professor. De resto, o título profissional consta da minha ficha de cliente da instituição bancária.
Após me aposentar em 2008 e até à presente data, passei a receber através daquela Agência, a pensão que me foi atribuída pela Caixa Geral de Aposentações. O tratamento que continuei a merecer foi a de Professor ou Senhor Professor, já que não havia razões para mudança.
A morada
Desde 1973 que a minha residência tem sido sempre a mesma, o que, de resto, consta da minha ficha de cliente.
Quando requisito cheques através do Multibanco, indico sempre que estes devem ser cruzados e enviados para a minha morada, que aparece então confirmada no monitor de Multibanco, o que comprova que a CGD sabe muito bem onde eu moro.
Uma ocorrência estranha
No passado dia 16 de Junho entrei em contacto via email com o meu gestor de conta, pessoa afável e de fino trato, que sempre tem mantido comigo o melhor relacionamento e em relação ao qual não tinha nem tenho a apontar nada de censurável. A minha solicitação foi a seguinte: Agradeço que me requisite 10 cheques cruzados para a minha conta ….. e para serem recebidos na minha morada. Obrigado. Os meus cumprimentos.
Foi com estranheza, que no passado dia 19 de Junho, recebi do meu gestor de conta a seguinte mensagem:

Bom dia Professor Hernani,
Para dar seguimento ao seu pedido, necessitamos de atualizar os seus dados nomeadamente:
CC
Comprovativo morada
Comprovativo profissão
Cumprimentos,

A minha resposta, via email, foi a seguinte:

Senhor….
A Caixa sabe onde eu moro, pois manda-me os cheques para cá. Também sabe que sou professor aposentado, por a Caixa Geral de Aposentações fazer a transferência para a minha conta.
Se são novas regras, devem estar a brincar comigo. Eu não me sujeito a isso...
Obrigado.
Os meus cumprimentos.

Naturalmente que continuo a ter do meu gestor de conta um elevado conceito. Já o mesmo não digo dos seus superiores hierárquicos, que estarão por trás daquela estranha exigência, da qual ele se viu forçado a ser porta-voz.
Fiquei deveras desagradado com o sucedido e entendo que no mínimo, um superior hierárquico do meu gestor de conta, me devia pedir desculpa do sucedido. Também seria desejável que se preocupassem mais com o crédito mal parado, concedido a “clientes de colarinho branco”.
Até serem prestadas as desculpas que me são devidas, se alguém trouxer à baila a minha instituição bancária de sempre, sou levado a proclamar:
- CAIXA GERAL DE DEPÓSITOS? NÃO OBRIGADO! 
Post-Scriptum
Face à exigência que me foi veiculada através do meu gestor de conta, fui à Caixa de Multibanco da Agência e requisitei os cheques pretendidos. Como habitualmente, o monitor confirmou a minha morada e acabei por receber os cheques em casa. Parafraseando o saudoso Fernando Pessa, é caso para dizer:
- E ESTA HEIN?